quinta-feira, 23 de março de 2017

Tajiquistão: por escolher a Cristo jovem é perseguida e presa pela mãe

Mariam* é uma jovem cristã de 20 anos que se converteu a Jesus Cristo no mês de janeiro, no Tajiquistão, um montanhoso país encravado na Ásia Central. Ela compartilhou sua alegria com sua mãe, chamada Uma*. Infelizmente, a mãe não recebeu bem a notícia e, desde então, passou a perseguir a própria filha, juntamente com alguns familiares.
Segundo o ‘Portas Abertas’, há informações de que Uma também tenha aceitado a Jesus, no ano de 2000, na mesma igreja, mas depois voltou atrás.
Primeiro, Mariam foi impedida de continuar frequentando os cultos, ao que ela respondeu: “Não posso deixar Jesus, ele abriu meus olhos para a verdade e agora ele é o único caminho que tenho a seguir. Sei que sou preciosa para Deus”. Depois disso, a mãe decidiu trancar a filha na própria casa, fazendo-a viver como uma prisioneira e tratando-a de forma cruel.
A jovem conseguiu fugir e foi viver na casa de uma das irmãs em Cristo. Recentemente, num domingo, sua mãe invadiu a igreja, gritando a todos e exigindo sua filha de volta. Ela declarou que, assim que encontrar Mariam usará de violência e a levará nua para o centro da cidade, com o objetivo de envergonhá-la aos olhos de todos, para que vejam que ela é uma “traidora”.
Ore por Mariam. Ela é recém convertida e precisa da proteção do Senhor para perseverar em sua fé. Ore pela sua condição física, emocional e espiritual. Peça também por Uma, sua mãe, para que o amor de Cristo entre em seu coração e faça morada; que todos da família também sejam impactados pela Palavra.
Interceda pela igreja no Tajiquistão e por todos os cristãos que enfrentam a perseguição.
* Nome e foto alterados por motivos de segurança
Fonte: Portas Abertas

quarta-feira, 22 de março de 2017

Pastor que estava no Titanic morreu pregando durante naufrágio


Homens de Deus estão em todos os lugares. Um desses homens foi o pastor John Harper, que morreu entre as vítimas do naufrágio do Titanic, em abril de 1912, que afundou depois de atingir um iceberg no Oceano Atlântico.
Harper nasceu em um lar cristão na Escócia, em 1872, e começou a pregar o Evangelho aos 18 anos. Em 1897, se tornou pastor da Igreja Batista Road Paisley, na cidade de Glasgow, e viu a igreja crescer de 25 membros para mais de 500 fiéis.
Na época do desastre do Titanic, Harper tinha 39 anos, era viúvo e estava com a filha de seis anos, Annie Jessie, e sua irmã, Jessie W. Leitch. Juntos, eles estavam viajando rumo a Chicago, em Illinois, nos Estados Unidos, para pregar por várias semanas na Igreja Moody.
Sua filha e sua irmã foram colocadas em um bote salva-vidas e sobreviveram, mas Harper ficou para trás com o objetivo de cumprir sua última missão: perder sua vida para salvar outras.
Em certo momento, o pastor decidiu entregar seu próprio colete salva-vidas para outro passageiro e continuou pregando o Evangelho de Cristo até o fim, conforme relataram os sobreviventes.
No livro “The Titanic's Last Hero” (“O Último Herói do Titanic”), publicado em 2012 por Moody Adams, foi registrado o testemunho do último homem evangelizado pelo pastor.
"Nos cinquenta minutos finais, George Henry Cavell, que estava apoiado numa prancha, se aproximou de John Harper. Harper, que estava se debatendo na água, gritou: ‘Você é salvo?’ Ele respondeu: ‘Não’. Harper gritou as palavras da Bíblia: ‘Creia no Senhor Jesus Cristo e será salvo’. Antes de responder, o homem foi puxado para dentro do mar.
Minutos mais tarde, a corrente trouxe George de volta e eles ficaram à vista um do outro. Mais uma vez, Harper gritou: "Você é salvo?" Novamente, ele respondeu: "Não". Harper repetiu as palavras de Atos 16:31: "Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo".
Cansado e sem forças, Harper escorregou no mar e morreu afogado. O homem que ele evangelizou depositou sua fé em Jesus Cristo e, mais tarde, foi resgatado pelos botes salva-vidas. Na província de Ontário, no Canadá, George Henry testemunhou que foi o último convertido de John Harper.
O pastor Harper selou em sua morte o que ele tinha vivido ao longo de sua vida: a paixão pelo Evangelho e a preocupação com almas perdidas. Segundo seu irmão, o pastor George Harper, John levou multidões ao Senhor durante sua vida e mostrou a força do Evangelho para o mundo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE EVANGELICAL FOCUS

Pastor fala sobre importância de seguir as festas bíblicas: “Deus nunca mudou seu calendário”


Com o agitado dia-a-dia do mundo moderno, caminhar com Deus em íntima comunhão parece ser um desafio. Para o pastor Mark Biltz, conhecido por explorar o fenômeno das "Luas de Sangue", o segredo para uma vida alinhada com Deus está centrado no calendário bíblico.
Fazendo referência ao trecho bíblico de Amós 3:3, que diz “duas pessoas andarão juntas se não tiverem de acordo?”, o pastor explica: “Se quisermos andar com Deus, temos que estar de acordo com Ele. Estar no calendário de Deus, em vez do mundo, permite que nos reconectemos com o Criador como nunca antes”, disse Biltz à WND.

Seguir o calendário bíblico e guardar as festas bíblicas fornecem uma nova compreensão da Bíblia, segundo o pastor. “Deus ordenou que as festas marcassem os tempos onde Ele interceptasse profeticamente a história humana", explicou.
"Todos os anos, por exemplo, os judeus imolavam o cordeiro da Páscoa no 14º dia do primeiro mês hebraico, Nisan. É por isso que Jesus morreu na Páscoa. Deus demonstrou ainda mais detalhes quando Jesus foi crucificado às 9 horas da manhã, o mesmo horário que o cordeiro era ligado ao altar. Ele morreu às 3 horas da tarde, o mesmo horário para o sacrifício", ele compara.

"O Messias morreu na Páscoa, foi sepultado na Festa dos Pães Asmos, ressuscitou na Festa dos Primeiros Frutos e o Espírito Santo foi derramado na Festa das Colheitas, conhecida como Pentecostes", continuou Biltz.
Fim dos tempos
Por essa razão, Biltz convida os cristãos a aprofundarem seu conhecimento sobre as festas bíblicas. "Se os cristãos não estiverem alinhados com o calendário de Deus, eles serão pegos desprevenidos quando os eventos escatológicos ocorrerem”, afirma.
Biltz acredita que as festas bíblicas não marcam apenas os grandes eventos da história, mas também preparam os fiéis para a vinda do Reino de Deus. “Durante o reinado milenar, Jerusalém se tornará a capital do mundo e o próprio Jesus se tornará o professor da Torá", disse o pastor.
Muitos cristãos podem considerar a ideia de guardar as festas bíblicas tangencial à sua fé, mas Biltz argumenta que o calendário da Bíblia é central. "Se acreditamos que Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente, precisamos reconhecer que Ele nunca mudaria seu calendário de compromissos divinos", disse o pastor. "Há grandes recompensas espirituais para aqueles que cumprem o que Ele pede e mantêm seu desígnios”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE WND

terça-feira, 21 de março de 2017

Criminoso se converte na prisão e passa a ajudar viciados: “Quero fazer a diferença”


Aos 8 anos, Michael Hiser era um péssimo aluno, faltava aulas, bebia álcool e fumava maconha. Criado por uma mãe solteira que trabalhava 16 horas por dia, ele não tinha limites quando o assunto era aprontar em Louisville, Kentucky (EUA). Seus professores o chamavam de "estúpido" e "preguiçoso", sem perceber que ele lutava contra dislexia não diagnosticada.

Aos 13 anos, um homem fez amizade com ele e o molestou. Culpando-se por ser muito fraco para resistir, ele passou a fazer uso de drogas mais fortes para entorpecer sua dor. Michael deu de cara com seu futuro quando encontrou um garoto sem-teto chamado Chuck, que se mudou com Michael e sua mãe. Ele e Chuck continuaram bebendo, consumindo drogas, e roubando para continuar bebendo e consumindo drogas.

Eles passaram cerca de 20 anos indo e voltando da prisão por várias acusações. Em um período de cinco meses, Michael acumulou 53 crimes. "Eu não era bom em ser um criminoso. Fui pego demais”, disse. Certa tarde, a polícia apanhou Michael por vender drogas em um clube de striptease. Eles o arrastaram para um campo e bateram nele, quebrando parte de seu crânio e fazendo com que ele apagasse. Depois de 16 horas de cirurgia "para colocar minha cabeça de volta", Michael acordou na prisão cinco dias depois. Ele deveria passar 85 anos na atrás das grades.

Contato com a Bíblia

Desde que a prisão permitiu que os presos tivessem apenas um livro - a Bíblia - Michael pediu a sua mãe lhe enviasse uma. Usando um lápis improvisado, Michael copiava as palavras de Provérbios dez horas por dia. Ele fez isso por oito meses, enquanto aguardava julgamento. Mas, ele fez para passar o tempo, não para entender as Escrituras. Apesar disso, as pessoas começaram a chamá-lo de "pregador", um apelido que ele desprezava por sua associação com televangelistas.
Antes do início do julgamento, Michael fez um acordo que reduziu seu tempo de prisão para 15 anos. Foi um dos momentos mais sombrios de sua vida. Mas, sem que ele soubesse, Deus o estava usando.
Na prisão

Durante seu primeiro dia na prisão, um jovem lhe perguntou como ele poderia ser salvo. O “pregador” não tinha ideia do que dizer.  Foi aí que um voluntário do ministério da prisão aproximou-se deles, citando Efésios 2: 8-9: "Porque pela graça sois salvos pela fé - e isto não vem de vós mesmos, é dom de Deus”. Michael se sentiu sem esperança. “Deus, o que o Senhor fez por esse garoto, faça por mim”, ele orou. “Eu não quero mais viver assim, mesmo que nunca saia”.
Então, as coisas começaram a mudar naquele momento. Michael não tinha mais gosto pelas coisas ruins que fazia. Sua Bíblia ganhou vida, e ele desejou lê-la. Ele ofereceu estudos bíblicos a seus companheiros e compartilhou o Evangelho. Quando uma velha acusação surgiu e ameaçou prolongar sua pena de prisão.

Depois da prisão

Depois de cumprir quatro anos em sua sentença de 15 anos, Michael foi para a condicional, pois foi liberto pelo seu bom comportamento. Ele precisava desesperadamente de um emprego - não apenas para sustentar a si mesmo e sua família, mas também para evitar voltar a seus velhos hábitos. A falta de emprego é uma das principais razões por que 66% dos ex-infratores são presos novamente, 50% são condenados de novo e 20% voltam para a prisão dentro de três anos. É difícil construir uma vida sem emprego.
"Ninguém quer contratar um cara com 25 anos de crimes". Mas, agora que ele era um cristão, desejava agradar a Deus e não enganar os homens. Michael teve inúmeras dificuldades para ser empregado. “Se eu pudesse apenas ter uma entrevista, eu poderia explicar como eu mudei”, disse.

Transformação social

No mês passado, Michael estava presente quando o governador de Kentucky, Matt Bevin, assinou uma ordem executiva para "banir a caixa" de pedidos de emprego estatais. A política visa ajudar os 18 mil homens e mulheres em Kentucky que saem da prisão todos os anos, impedindo os empregadores do estado de perguntar sobre história criminal até mais tarde no processo de candidatura.
Michael finalmente conseguiu um emprego  e voltou a ser estudante de uma faculdade técnica, permitindo-lhe pagar o aluguel. Quando o gerente da propriedade de seu prédio de apartamento notou que ele voluntariamente limpava as terras todos os dias, ele ofereceu a Michael um papel de gerenciamento em troca de aluguel com desconto. Depois de comprar um caminhão, Michael usou-o para pegar sucata em seus dias de folga. "Geralmente tenho vários empregos", diz ele. "Eles não pagam criminosos muito bem".

Hoje, 10 anos depois de deixar a prisão, Michael ainda tem vários empregos. Ele é um terapeuta familiar em sua própria clínica e trabalha em uma instituição de tratamento medicamente assistida que ajuda viciados em heroína e outras substâncias. Ele também é voluntário ajudando ex-infratores a se juntar à sociedade, e construir um centro para desabrigados em sua região. "Eu quero fazer a diferença e melhorar minha comunidade para que meu neto tenha um lugar decente - não tentado pelas drogas e álcool, mas cativado pelo amor e misericórdia de Deus para todas as pessoas, não importa o seu passado", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE GOSPEL COALITION

"Deus usará este 'inferno' para realizar milagres", diz cristão sobre perseguição na Síria


O grupo extremista Estado Islâmico (EI) ainda passa pelo Iraque e pela Síria, devastando cidades e famílias inteiras. Mas, isso não fez com que os cristãos fiéis deixassem de confiar em Deus para restaurar suas vidas. Ryan Mauro é analista de segurança nacional e deu um parecer após atravessar a antiga cidade de Qaraqosh.
"Vemos a destruição à nossa volta", disse. Enquanto os militantes do EI tentam se espalhar por todos os lugares, eles dizem que seu alvo favorito é o povo cristão. Por esse motivo, eles derrubam casas cristãs e incendeiam igrejas. No entanto, os cristãos continuam firmes.
"Em uma ocasião, cheguei a ouvir a frase: ‘Nós não adoramos a um Deus de prédios, mas nosso Deus está presente aqui’, disse enquanto apontava para o coração", lembrou o analista sobre um cristão local.
Uma fé maior
Mauro ainda comenta que tem percebido um aumento na  fé dos cristãos na Siria e diz que ela está mais forte do que antes. "As pessoas que eu conheci em Qaraqosh foram inflexíveis sobre a questão da fé e disseram que ela está cada vez mais forte. Eles querem reabrir as igrejas que foram queimadas e preenchê-las com uma multidão ainda maior do que antes”, ressaltou o analista de segurança nacional.
"Para eles, Deus usará esse inferno que eles suportaram para realizar um milagre", pontuou. Enquanto eles não sabem o que o futuro lhes reserva, muitos cristãos e combatentes na linha de frente estão procurando ajuda na América.
"Os curdos, a minoria curda Kakai e os cristãos me pediram que eu levasse uma solicitação ao Presidente Trump. Que ele viesse visitá-los pessoalmente e que os EUA fornecessem apoio político e militar. Eles pediram também uma zona segura para a minoria perseguida, pois esse povo precisa ser um alvo oficial da política dos EUA", disse Mauro. Enquanto isso, eles continuam orando pelo dia em que suas cidades serão restauradas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CBN NEWS

"Pagamos um alto preço, mas estamos firmes", diz cristã perseguida no Vietnã


Não é fácil viver como cristão no Vietnã. O país continua sendo comunista e quando a nova liderança foi apresentada, em 2016, os crentes se entristeceram. É que havia esperança de que o governo entrasse em reforma e assim a Igreja poderia ter mais liberdade na nação. Mas, a pressão nacionalista aumentou e os cristãos estão enfrentando uma violência ainda maior.
Uma dessas pessoas, que enfrentam dificuldades é Esther (o nome foi substituído por motivos de segurança), uma cristã vietnamita perseguida por professar sua fé. “Nosso país é comunista e esse tipo de governo nunca quer que a igreja cresça, por isso, eles tentam controlar os fiéis e a opressão vem de muitas maneiras”, conta.
De acordo com ela, os cristãos ainda estão de pé, apesar das dificuldades, ela compartilhou com o Ministério Portas Abertas que os encontros acontecem em pequenos grupos, organizados domesticamente para que a “igreja” não seja identificada pelas autoridades. Essa é uma forma de proteção que a Igreja Perseguida utiliza para não correr riscos no Vietnã.
Uma necessidade diária
Esther conta que assim como é preciso da água para viver, eles precisam se encontrar para continuarem vivos. “Adorar ao Senhor e nos manter unidos para estudar sua palavra fazem parte das nossas necessidades diárias. Assim como precisamos comer e beber para alimentar nosso corpo físico, necessitamos nos alimentar espiritualmente também, para tomar fôlego e seguir em frente”, ressalta.
“Com a ajuda do Espírito Santo sempre nos encontramos. Não é fácil, pois pagamos um preço por sermos cristãos, mas estamos firmes”, pontuou.
Esther ainda disse que ela tinha apenas 15 anos quando o comunismo chegou em seu país, o que afetou consideravelmente a questão da liberdade religiosa. “A perseguição fez a igreja acordar, pois quando somos perseguidos compreendemos que a palavra de Deus é a nossa força, nossa arma contra o mal e nossa fonte de sabedoria”. A sobrevivente ainda alerta: “Não temam as perseguições porque Deus tem um plano para sua igreja, mesmo em meio a grandes provas. Deus tem sua forma de purificar a cada um de nós antes do fim”, finalizou.
Esther virá ao Brasil, entre os dias 24 de abril a 8 de maio, para dar seu testemunho. As cidades onde ela ministrará serão Fortaleza e Maceió. Para convidá-la a contar mais detalhes sobre a perseguição dos cristãos no Vietnã, entre em contato pelo e-mail semfonteiras@portasabertas.org.br ou pelo telefone (11) 2348 3330.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PORTAS ABERTAS

Rio autoriza Universal a construir templos em presídios

A Igreja Universal do Reino de Deus conseguiu autorização do governo do Rio para construir templos em todas as 43 unidades prisionais do Estado. Nesta segunda-feira (20) os dois primeiros foram inaugurados, um na Cadeia Pública Joaquim Ferreira e o outro no Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho, ambos pertencem ao Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio.
O governo declarou que não houve investimentos com verbas públicas nas edificações e afirmou que, mesmo sendo totalmente custeados pela Igreja Universal do Reino de Deus, os templos serão ecumênicos, “onde poderão acontecer cultos de outras igrejas evangélicas, católicas ou espiritualistas”.
A liberação para utilização dos espaços ficará sob responsabilidade do diretor de cada unidade prisional, conforme informou a Secretaria de Administração Pública (Seap).
O governador Luiz Fernando Pezão e o secretário estadual de Administração Penitenciária, Erir Ribeiro da Costa Filho, estiveram em reunião no dia 14 de fevereiro, com líderes da Igreja Universal para tratar da construção dos templos, que, segundo a Seap, “têm o objetivo de auxiliar no processo de ressocialização dos presos”.
O Extra procurou a assessoria de imprensa da Igreja Universal do Reino de Deus, mas ninguém foi encontrado para comentar o caso.
Em março deste ano foi inaugurado um templo na Penitenciária Feminina de Sant’Ana, no Carandiru, Zona Norte da Capital Paulista.
Fonte: Gospel Prime/Cristiano Medeiros

Goleiro Bruno: “Não existe pecadinho e pecadão. Tudo é pecado”

O goleiro Bruno Souza, 32 anos, está recomeçando sua carreira no Boa Esporte, time de Varginha, região sul de Minas Gerais. Após ficar preso por seis dos 22 anos a que foi condenado pela morte de Eliza Samudio, mãe do seu filho, desde o final de fevereiro aguarda em liberdade o recurso contra sua condenação ser julgado em segunda instância.
Entre as diversas entrevistas que deu nos últimos dias, falando ao canal ESPN, o ex-jogador do Flamengo falou sobre sua mudança de vida. Ele aceitou Jesus e se converteu na prisão, tendo se batizado nas águas em 2012.
Na época, os pastores Anderson e Aline Duarte, líderes da Igreja Evangélica Restaurando Vidas, contam que o goleiro mostrava resistência e desconfiança nos cultos. Contudo, o jogador sempre demonstrou que queria mudar de vida.
Em vários momentos da entrevista à ESPN, Bruno falou sobre Deus. “Não sou bandido. Cometi um erro. Grave? Grave. (…)Deus faz as coisas na hora certa, nunca me abandonou naquele lugar… Foi um choque para o Brasil inteiro, mas eu peço uma oportunidade de recomeçar a vida”, assevera.
Para ele é natural que volte a jogar agora que está fora da prisão. “Quando um pedreiro ou motorista saem, eles vão voltar para isso. A única coisa que eu sei fazer na vida é jogar futebol, por isso, não posso largar meu sonho. Peço oportunidade para as pessoas reverem, não vou parar, vou dar sequência à minha carreira, cara, eu vou, tenho coragem, o pior da minha eu passei”, afirmou.
Embora evite falar sobre o crime, cometido em 2010, disse que hoje é uma pessoa melhor. “O que passou, passou. “Você tem que se arrepender das coisas do passado e se tornar uma pessoa melhor. Não é porque você está no fundo do poço que tem que ficar lá, não. (…) É uma mancha que vou carregar para o resto da minha vida”. (…) A gente tem que falar de mais amor para as pessoas. Amor é Deus. Sei que Deus vai me colocar no lugar que tiver que colocar.”
Disse ainda que está preparado para críticas, mas tem na fé seu consolo. “O que importa para mim é o amor de Deus, pedi perdão a Deus, tive momento único com Deus”, insiste, sem dar detalhes.
Ao tentar mostrar que mereceria uma nova oportunidade no esporte, lembrou do caso envolvendo o ex-jogador Edmundo, que matou 3 pessoas num acidente de trânsito em 1995, mas continuou atuando nos gramados.
“Vou citar o caso de Edmundo, passou a carreira toda tentando superar, não sou a pessoa mais capacitada para julgar. É um cara que pego como exemplo. Dentro do estádio, vou ouvir muitas coisas? Vou, mas não estou comparando caso e caso. Não existe pecadinho e pecadão. Tudo é pecado”, sublinhou.
Fonte: Gospel Prime/Jarbas Aragão

Líder de louvor de 5 anos emociona em programa de TV

O programa “Little Big Shots”, apresentado por Steve Harvey vem fazendo sucesso na rede norte-americana NBC, ao apresentar crianças que possuem algum tipo de habilidade especial.
Um dos entrevistados que fez mais sucesso chama-se Caleb Serrano. Ele tem apenas cinco anos, mas foi apresentado como líder de louvor da Igreja Batista Ebenezer em Greensboro, Carolina do Norte.
Logo no início, Harvey fala sobre a “boa aparência” do menino, que vestia camisa com colete e usava gravata. Rindo a maior parte do tempo, ele fez uma série de perguntas a Caleb, que responde sempre de bom humor.
A entrevista toma outro rumo quando o menino fala sobre seu papel como “líder de louvor” na igreja. Na verdade ele auxilia seu avô e eventualmente canta nos cultos. Em determinado momento do programa, o menino chama a audiência para louvar com ele.
O momento foi destaque na imprensa tanto pela espontaneidade do menino quanto pela sua postura ao falar do que ele faz na igreja mesmo sendo muito novo. Questionado sobre a experiência de se tornar uma espécie de celebridade mirim, Caleb disse apenas: “Eu meio que me senti como uma estrela de cinema… mas o que mais amo é a música gospel, e eu adoro cantar para Jesus.”
Segundo sua família, ele sempre acompanhou o trabalho com avô com interesse e já balbuciava trechos e louvores quando nem formava frases completas ainda.
Membro do coro de crianças em sua igreja, Caleb já cantava solo desde os três anos de idade.  O menino diz que sua mãe, Dalelah e seu avô, Bobby Lee Roger Jessup, o ensinaram a cantar.
O que o deixou famoso e gerou o convite para aparecer no programa é um vídeo que viralizou nas redes sociais no final do ano passado. Então com 4 anos, ele canta “This Little Light of Mine” [Minha Pequena Luz] no púlpito da Igreja.
A entrevista toma outro rumo quando o menino fala sobre seu papel como “líder de louvor” na igreja. Na verdade ele auxilia seu avô e eventualmente canta nos cultos. Em determinado momento do programa, o menino chama a audiência para louvar com ele.
O momento foi destaque na imprensa tanto pela espontaneidade do menino quanto pela sua postura ao falar do que ele faz na igreja mesmo sendo muito novo. Questionado sobre a experiência de se tornar uma espécie de celebridade mirim, Caleb disse apenas: “Eu meio que me senti como uma estrela de cinema… mas o que mais amo é a música gospel, e eu adoro cantar para Jesus.”
Segundo sua família, ele sempre acompanhou o trabalho com avô com interesse e já balbuciava trechos e louvores quando nem formava frases completas ainda.
Membro do coro de crianças em sua igreja, Caleb já cantava solo desde os três anos de idade.  O menino diz que sua mãe, Dalelah e seu avô, Bobby Lee Roger Jessup, o ensinaram a cantar.
O que o deixou famoso e gerou o convite para aparecer no programa é um vídeo que viralizou nas redes sociais no final do ano passado. Então com 4 anos, ele canta “This Little Light of Mine” [Minha Pequena Luz] no púlpito da Igreja.
Fonte: Gospel Prime/Jarbas Aragão

População mais pobre é a mais fiel no dízimo, aponta pesquisa

O dízimo é uma prática tradicional entre os cristãos evangélicos, visto como uma doutrina ou recomendação social bíblica para o sustento e expansão missionária da igreja. Uma pesquisa recente revelou algo interessante que aponta para a passagem da “viúva pobre”, em Marcos 12: 41 a 44, onde mesmo com poucos recursos, teve a preocupação de contribuir com uma oferta voluntária.
No estudo iniciado em 2013, feito pela Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil) com o objetivo de fornecer dados para o Ministério da Fazenda e ao Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, ficou constatado que a população cristã mais humilde tem a mesma preocupação da “viúva pobre”, em contribuir com o Reino de Deus a partir do que possui.
O público da pesquisa foi mulheres e homens aposentados, com renda de até dois salários mínimos e beneficiários do programa “Bolsa Família”. Envolvendo 49 municípios em 16 Estados, os pesquisadores participaram do cotidiano dessa população, entrando em suas casas e observando seus costumes de gasto financeiro.
“Tivemos um trabalho prévio e vivência de meses em várias casas de famílias pesquisadas para entender hábitos de consumo e identificar a linguagem”, disse Claudia Forte, superintendente da AEF-Brasil, em publicação no site O Povo.
O que os pesquisadores nunca haviam imaginado, foi que ao entrar nas casas dessas pessoas, pudessem observar que o dízimo estava na lista de gastos mensais do orçamento familiar. Eles constataram que para grande parte dessas famílias, o valor do dízimo é um dos compromissos mais importantes:
“A religião é a válvula de escape para muitos e o dízimo talvez seja o compromisso financeiro mais importante de algumas famílias”, disse Claudia, sem compreender a experiência de fé e vida prática implícita no ato de dizimar, motivo pelo qual pessoas humildes, mesmo com poucos recursos, são fiéis nesse compromisso como símbolo de reconhecimento da providência divina, a exemplo da “viúva pobre”.
A pesquisa constatou que os católicos também  fazem suas contribuições para a Igreja Católica, porém, de forma semanal e de valor variável. Os cristãos evangélicos, todavia, apesar de adotarem a oferta como uma prática voluntária também do dia-a-dia, encaram o dízimo como um compromisso mensal assim como qualquer outro, porém, atribuído de fé e incentivo à obra de Deus.
Fonte: Gospel Mais/Will R. Filho

Teto de igreja desaba e pastor Abílio Santana escapa da morte

Foto: Reprodução/ Internet
O pastor Abílio Santana escapou da morte, depois que o teto da igreja dele em Salvador, desabou. Segundo ele mesmo relatou, o caso ocorreu devido as fortes chuvas que atingiram a cidade no último final de semana.
Bastante emocionado, Abílio Santana falo momentos depois aos o acidente, e contou que por pouco não caiu junto com o teto.
Ao que indica, ele estava no teto no momento do  incidente, resolvendo problemas de infiltração.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...